Dados traduzidos de texto de II, dos quais a extremamente competente Secretária de Estado da Secretaria de Direitos das Pessoas com Deficiência do Estado de São Paulo, professora de medicina e de Fisiatria da Univ. São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella publicou um Relatório alentado, grandemente informativo, há cerca de 4 anos.

Digitado em São Paulo em 20 de março de 2017 por Maria Amélia Vampré Xavier, Assessora da Diretoria de Assuntos Internacionais da FENAPAEs (Federação Nacional das APAEs), sediada em Brasília mas sem vínculos com o governo federal.  Integrante de REBRATES (Rede Brasileira do Terceiro Setor), SP, Rede entre Amigos SORRI BRASIL, SP, Associação CARPE DIEM, SP,  Membro Honorário Vitalício da Inclusion International, sediada em Londres, Inglaterra, à qual o Brasil é filiado desde junho de 1966, por iniciativa de pais da APAE de São Paulo.

Vivemos, a maioria de nós, paulistanos, nesta grande e movimentada cidade de São Paulo, com seu trânsito intenso e seus doze milhões de habitantes na maior cidade brasileira em tamanho e importância.  Às vezes é difícil para nós visualizarmos o que está ocorrendo na rua em que moramos, em nosso bairro, é complicado, portanto, pensar em termos globais.

E, todavia, isso é muito importante. Segundo dados enviados há algum tempo pela Inclusion International, existiam naquela data em todo o mundo mais de um bilhão de pessoas com deficiências.

Esse algarismo surpreendente foi uma das razões pelas quais a queridíssima amiga Dra. Linamara Rizzo Battistella, nossa ilustre Secretária de Estado da Secretaria de Direitos das Pessoas com Deficiência do Governo de São Paulo, conseguiu, porque tem uma força equivalente a uma potentíssima locomotiva, mandar traduzir e publicar o Relatório sobre esse fato, a existência de mais de um bilhão de pessoas com deficiências em todo o mundo.

Como sempre fazemos, divulgamos o trabalho de Dra. Linamara porque ela é uma pessoa totalmente fora de série em gentileza pessoal, em competência médica, e em capacidade de dirigir inúmeros projetos de profundo interesse social.

Vamos aos dados da Inclusion International sobre esse assunto de enorme importância social:

O relatório estima que o número de pessoas com deficiências globalmente como sendo superior a um bilhão de pessoas. Ao estabelecer esse algarismo como a nova estimativa global, o relatório ajudará no enfrentamento da invisibilidade de pessoas com deficiências, e chamará a atenção para as barreiras à participação, e à desigualdade que pessoas com deficiências continuam a experimentar. 

 “Durante as negociações sobre a Convenção dos Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD) tornou-se evidente que um dos maiores obstáculos que pessoas com deficiências têm de encarar ao redor do mundo é precisamente a  invisibilidade.   Pessoas que têm deficiências frequentemente são mantidas escondidas, devido ao estigma de que são alvo;  essas pessoas podem não ter seu nascimento legalmente registrado ao nascer, nem fazerem parte dos algarismos do censo do país,  ou podem ser ignoradas em outros processos de coleta de informações.

 O Relatório Mundial sobre Deficiências evitará que governos permaneçam escondidos atrás de dados grosseiramente equivocados e forçará todos os interessados a reconhecer que,  tomando por base os algarismos somente, pessoas com deficiências integram uma minoria grande demais para permanecer ignorada.

 Ao implementar o Relatório Mundial sobre Deficiências é preciso tomar cuidado para assegurar que o espírito da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência seja respeitado.  A Convenção sobre Direitos reconhece o direito à saúde das pessoas com deficiências e deseja que a contribuição de sistemas de saúde à plena participação dessas pessoas seja respeitada.     Contudo, o modelo para o fornecimento de apoios e serviços não deverá continuar com o formato do modelo médico, e sim substituído pelo modelo social e estrutura de direitos humanos que permeia o relatório.

Pelos comentários feitos pela Inclusion International vemos que grande significado teve o Relatório Global que em boa hora decidiram compilar, para conhecimento – cada vez mais crescente – das pessoas que se interessam pelos progressos sociais de nosso país, de outros países, do mundo inteiro afinal.

Como mãe de pessoa com deficiência intelectual, há décadas participante do movimento das APAEs no Brasil, com suas mais de duas mil entidades filiadas, agradecemos aos amigos que se empenharam tanto para a feitura de um documento de tamanha importância, e renovamos nossa gratidão a Dra. Linamara Battistella por sua incrível capacidade de trabalhar tanto por todos nós e com tanto brilho!

 Traduzido do inglês e digitado em São Paulo em 20 de março de 2017 por Maria Amélia Vampré Xavier, Fenapaes. ,