Traduzido do inglês e digitado em São Paulo em 14 de fevereiro de 2017 por Maria Amélia Vampré Xavier, Assessora da Diretoria de Assuntos Internacionais de FENAPAEs, organização sem fins lucrativos,sediada em Brasília, sem qualquer vínculo com o governo federal.  Nosso trabalho é coordenar as ações das 2.161 APAEs atualmente existentes no Brasil, um movimento forte e coeso, muito respeitado além de nossas fronteiras, pelo grande esforço feito em mais de 60 anos de instalação das primeiras APAEs para valorizar pessoas com deficiência intelectual e suas famílias, que teem em nossas APAEs o apoio e a orientação para bem conduzir pela vida o bebê, a criança pequena,  a criança em fase escolar, o adolescente, e o jovem adulto, sem contar as pessoas com defciências, nossos parentes e amigos que estão envelhecendo, e precisam muito de nosso apoio nessa difícil fase adiantada da vida.

Maria Amélia é Membro honorário vitalício de INCLUSION INTERNATIONAL, a organização mundial de famílias que defende os direitos de pessoas com deficiência intelectual e suas famílias nos 5 continentes, sediada em Londres, Inglaterra, à qual o Brasil através das APAEs é filiado desde junho de 1966 por iniciativa de pais da APAE de São Paulo;  integrante de Rebrates (Rede Brasileira do Terceiro Setor.) SP,

Associação CARPE DIEM, SP,

 

A finalidade precípua desta folha trimestral ou seja, NOSSA VOZ JUNTO ÀS NAÇÕES UNIDAS,  é fornecer informações e novidades acerca de:

Como estamos afetando mudanças nas Nações Unidas e em nossos esforços por toda a Terra; como podemos envolver-nos em esforços e iniciativas que irão impactar suas comunidades e o país de vocês.

 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 &&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&&

 Os esforços de defesa de Inclusion International junto às Nações Unidas e em outras discussões globais são orientadas pelas prioridades que nossos membros identificaram, globalmente falando.    Enquanto organizações-filiadas em diferentes regiões e países enfrentam contextos políticos e econômicos diferentes, as questões relacionadas a exclusão das famílias e dos auto-defensores são compartilhadas em escala global.

Nossos membros continuam a priorizar seus esforços de defesa em quatro áreas gerais:

*Educação inclusiva

*Morar e ser incluído na comunidade

*O direito de tomar decisões

Para 2017-18 identificamos diversas oportunidades importantes para  fazer avançar as questões prioritárias de nossos membros junto às Nações Unidas e processos globais.

Estes incluem:

*   Assegurar que o  Comentário Geral sobre o Artigo 19   reflita as perspectivas e prioridades de pessoas com deficiência intelectual e suas famílias.

*      Assegurar que   o papel das famílias  no sentido de que a inclusão seja bem aceita, seja articulada e reconhecida pela comunidade internacional de deficiências;  O Grupo de Especialistas da CDPD das Nações Unidas e agências das Nações Unidas.

  • Assegurem que nossa voz seja ouvida nas

METAS PARA DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

com esforços específicos focalizados na Meta no. 4 Inclusivo,  Educação de Qualidade para Todos.

Nos próximos meses faremos uma série de contatos com vocês sobre metas de defesa.  Durante o ano daremos atualizações sobre nossos esforços em seu próprio país e nas Nações Unidas.

Traduzido do inglês e digitado em São Paulo em 14 de fevereiro de 2017 por Maria Amélia Vampré Xavier